SELIC x IPCA – O que investir no Tesouro Direto? Comparador Grátis!

Por Arthur Farache

SELIC x IPCA – O que investir no Tesouro Direto? Comparador Grátis!

Você já investe no Tesouro Direto – o que já é ótimo, mas toda vez que vai fazer uma aplicação, surge aquela dúvida: Será que eu compro Tesouro Selic (as antigas LFTs) ou Tesouro IPCA (as antigas NTNBs)?

Compare todos os investimentos no Tesouro Direto com o nosso simulador de investimento. Baixe o simulador Gratuito e receba a planilha em seu email, basta preencher o formulário abaixo para que possamos enviar para você!


Eu também sempre tive essa dúvida e – considerando que não sabia o que ia acontecer no futuro com as taxas de juros e inflação – parecia mais razoável dividir a carteira:

1/3 em SELIC,

1/3 em IPCA e

1/3 em Pré-fixado.

Mas a pulga foi colocada atrás da orelha pela declaração do gestor do JP Morgan, Eduardo Alhadeff (veja a matéria da Exame):

“Esses títulos que pagam quase 7% ao ano mais a inflação talvez sejam a oportunidade de investimento da década”

Considerando que os títulos Tesouro IPCA+ possuem rentabilidade da inflação acrescida de uma determinada taxa de juros, o gestor do JP Morgan considera que 7% + Inflação seria a oportunidade da década.

Mas por que? Haveria alguma uma taxa ótima que me permitisse decidir por investir nestes títulos de IPCA em detrimento ao título atrelado a SELIC, por exemplo?

Acho que na cabeça de todos a SELIC sempre deveria se posicionar acima da inflação (IPCA), mas não podemos ficar no achismo. Vamos para os números.

Então, o que precisaríamos para achar essa taxa era apenas comparar o histórico de IPCA e SELIC, certo?

A primeira decisão a ser tomada, portanto, era definir a partir de quando (data-base) íamos comparar os 2. Houve algum dia em que o governo zerou a rentabilidade dos títulos? Ou melhor a partir do qual o governo vem atualizando os títulos?

Sim. Esse é o Valor Nominal Atualizado (veja mais detalhes sobre a precificação dos títulos públicos aqui) que para as NTN-Bs é o dia 15/07/2000.

Lá fui eu de novo ao sistema de séries históricas do Banco Central (Acesso ao Sistema Gerenciador de Séries Temporais) e buscamos as duas taxas mensais, veja como ficou o gráfico abaixo:

IPCA e SELIC

Podemos notar algumas coisas a partir do gráfico acima:

  1. Como era esperado, com poucas exceções, a SELIC sempre se manteve acima do IPCA.
  2. A SELIC é, de certa forma, reativa ao IPCA, ou seja, quando o IPCA sobe, a SELIC sobe depois e o mesmo acontece na queda. Isso certamente se dá porque a SELIC é o instrumento utilizado pelo COPOM (Comitê de Política Monetária) para controlar a inflação (Veja que o principal assunto citado nas atas das reuniões é a inflação), de modo que o faz com olho no passado, ou seja, na Inflação apurada pelo IBGE.
  3. O IPCA possui variações dentro do ano mais fortes que a SELIC – o que me fez procurar mais a respeito de uma possível sazonalidade. Para entender um pouco mais sobre a sazonalidade do IPCA (ou melhor dos seus itens), recomendo a leitura desse paper: https://www.bcb.gov.br/pec/wps/port/wps31.pdf

Mas eu ainda não estava satisfeito com o gráfico simples que eu fiz, principalmente por conta desses grandes choques (variações) do IPCA, então com preguiça de fazer um gráfico com média móvel, recorri ao meu amigo Google para saber se alguém já havia feito esse trabalho por mim.

Eis que encontrei o blog Atirei o Pau no Gráfico do Roberto (http://www.atireiopaunografico.com.br/2012/10/selic-acompanha-ipca-ou-e-o-contrario.html) com o ótimo gráfico feito em cima das médias móveis do IPCA e SELIC. Ele utilizou um período menor, mas já dá para ver a correlação.

SELIC x IPCA

Bom – como fiquei curioso para entender o porquê de aquele gestor citar exatamente IPCA + 7% como sendo “a maior barganha do mundo”.

Decidi simular um investimento de R$ 10.000,00 em julho/2000. Se alguém tivesse investido R$ 10.000,00 em um Tesouro SELIC e outra Tesouro IPCA+ (NTN-B Principal) + 7%.

O resultado foi uma diferença bastante significativa:

O IPCA + 7% retornou (TIR) de 14.09% ao ano, enquanto SELIC 13.56% ao ano. O que para um investimento em renda fixa com risco de Tesouro Nacional é uma diferença enorme.

Mas e qual seria o ponto em que eu deveria deixar de comprar SELIC para comprar IPCA?

E a resposta da minha planilha foi 6.5%. Veja o resultado em gráfico abaixo.

Screen Shot 2016-05-26 at 8.12.49 AM

Planilha de Simulação e Comparação SELIC x IPCA – Baixe Gratuitamente

E, como não poderia deixar de ser, disponibilizei a planilha que te ajuda a comparar os dois investimentos com base em seus históricos.

Basta você inserir o valor de investimento que gostaria simular e copiar e colar o valor da taxa de juros do Título do IPCA+ que está disponível aqui: http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro-direto-precos-e-taxas-dos-titulos.

Com isso o gráfico vai te dar uma ideia com base nas séries históricas se naquele momento vale a pena comprar Tesouro SELIC ou Tesouro IPCA+.

Receba a planilha que simula e compara os dois investimento em seu email, basta inserir seu nome e email que mandamos automaticamente para você:

Se você quiser simular e comparar todos os investimentos (LFT, NTN-B, etc.) no Tesouro Direto, baixe gratuitamente a planilha que preparamos e explicamos no Simulador Tesouro Direto.

Notas:

  1. Considerando que a diferença material é mínima, utilizei a variação mensal SELIC e IPCA, portanto, não calculei exatamente os dias úteis com base em um ano de 252 dias para rentabilidade da simulação.
  2. As minhas conclusões foram baseadas nas taxas históricas a partir de julho de 2000 a abril de 2016, nada garante que essas taxas se comportem de forma similar no futuro.
  3. Essa simulação leva em consideração se você teoricamente ficasse com o título até o vencimento. Qualquer investimento com um prazo menor ou que é liquidado antes do vencimento no mercado secundário, essa planilha não é válida.
  4. Esta planilha tem apenas cunho educacional. Não tome qualquer decisão baseada apenas em conclusões retiradas dela.

Leia também