Tesouro SELIC ou Tesouro Prefixado

SELIC x Prefixado – O que investir no Tesouro Direto? Comparador Grátis!

Por Arthur Farache

SELIC x Prefixado – O que investir no Tesouro Direto? Comparador Grátis!

Depois de o nosso post sobre SELIC x IPCA – O que investir no Tesouro Direto ter tido uma repercussão que nos surpreendeu, começamos a receber muitos pedidos sobre uma eventual continuação do tema.

Nossos leitores passaram a nos perguntar quando sairia um post que os ajudassem na decisão de investir em Tesouro SELIC ou Tesouro Prefixado.

Como o pedido do leitor aqui é ordem, comecei a estudar o assunto. Confesso que até então, esse tema não me parecia tão complexo e desafiador quanto se revelou ao longo da pesquisa e, por isso, tenho demorado mais do que o de costume.


Não esqueça de conferir os Custos do Tesouro Direto pois uma avaliação errada ao calcular os custos pode levar toda a responsabilidade.

O principal problema para se fazer um estudo sério sobre o tema Tesouro SELIC ou Tesouro Prefixado é que isso mexe com duas coisas dificílimas de explicar: estimativaexpectativa.

Ao contrário do post SELIC x IPCA em que olhar para o passado por meio de um estudo histórico ajuda de forma eficaz, a decisão de investir em títulos atrelados a SELIC ou em títulos prefixados envolve um exercício de prever o futuro sob dois ângulos:

Estimativa – Você precisa estimar como a Taxa SELIC se comportará no futuro. Tentar prever como o COPOM (Comitê de Política Monetária) vai decidir nas reuniões que acontecem durante o ano.

Expectativa – Você precisa entender a expectativa do mercado, ou seja, dos investidores e dos técnicos do Tesouro (responsáveis por mexer no preço dos títulos prefixados) em relação a taxa SELIC e ao desempenho da economia do país.

O racional até que é simples:

Se você acha que a SELIC vai cair e a expectativa do mercado ainda não foi refletida no preço do título prefixado, o melhor é comprar esses títulos prefixados.

Mas se você acha que a SELIC vai subir mais do que a expectativa do mercado e, portanto, isso ainda não está refletido no preço do título prefixado, comprar títulos atrelados a SELIC é melhor.

Antes de sair investindo e achando que é o bambambam. Você sabia que os grandes bancos e grandes investidores possuem modelos matemáticos super sofisticados para tentar prever essas duas coisas?

O objetivo desse post, portanto, é ajudar o investidor iniciante com uma diretriz prática na hora de decidir entre Tesouro SELIC e Tesouro Prefixado.

Ponto de Partida

Vocês já devem ter notado que sou fã do Sistema de Séries Históricas do Banco Central, né? Pois bem, comecei meu estudo olhando para o gráfico simples de comparação entre SELIC e Prefixado (LTN).

Como o Bacen não disponibiliza os preços do Tesouro Prefixado, então tive que baixar as planilhas do site do próprio tesouro, uma por uma: http://www.tesouro.gov.br/tesouro-direto-balanco-e-estatisticas. A primeira data de publicação do Tesouro Prefixado (LTN) é 18/03/2002 – portanto foi esta que utilizei como data-base.

Veja o gráfico abaixo (SELIC x Preço LTN):

Tesouro SELIC x Tesouro Prefixado

Notem que há um correlação bem forte entre as duas.

Como as reuniões do COPOM respeitam uma agenda fixa, acaba que a SELIC somente é alterada nestas datas específicas, o que limita a movimentação da SELIC frente ao título prefixado, que é alterado diariamente pelo Tesouro Nacional.

O que fica claro no gráfico é que de uma forma ou de outra a SELIC acaba se aproximando do título pre-fixado.

Uma outra observação válida (os grafistas vão gostar) é que nas tendências de baixa da SELIC, a LTN quase sempre fica abaixo, enquanto no viés de alta, a LTN quase sempre fica acima da SELIC.

Ainda curioso? Então vamos ver onde estariam localizadas as datas em que o Brasil teve o seu rating alterado pelas agências de riscos internacionais.

Grau de Investimento x Grau de Especulação

Tesouro SELIC x Prefixado (com ratings)

Percebeu que antes de sermos classificados como grau de investimento (2008) tivemos um gradativo e longo caminho de diminuição da SELIC e do preço do título prefixado?

Percebeu ainda que para sermos rebaixados a grau de especulação (2015), tivemos também uma alta gradativa e longa desses dois indicadores?

Nada é por acaso.

O que tiramos da média

O que uma média entre Tesouro SELIC e Tesouro LTN poderia nos dizer? Analisando o período acima encontramos as seguintes médias:

SELIC: 13,53% ao ano

Tesouro Prefixado (LTN): 14.06% ao ano

Na média o Tesouro (leia-se o Governo) teve que pagar um pouco mais para que investidores comprassem o título prefixado (LTN) do que a média da SELIC.

Na prática isso não define qual será a decisão a ser tomada, mas já é a primeira pista do que pode ser um caminho seguro.

Comprar uma taxa prefixada na verdade é tomar risco de que as taxas de mercado (SELIC, IPCA, etc.) variem e você fique de fora da brincadeira.

Portanto, para investidor iniciante que tem a finalidade de proteger o capital é mais importante pegar um título atrelado a SELIC ou ao IPCA com um bom prêmio em cima.

Em todo caso será que teríamos um teste que possibilite optar pelo Tesouro Prefixado (LTN) ao invés de comprar SELIC? Um teste possível que leva o investidor a um resultado razoavelmente seguro seria:

  1. O Tesouro Prefixado (LTN) está acima da SELIC? Caso negativo, pare aqui e compre SELIC. Caso positivo continue para a próxima pergunta.
  2. O Tesouro Prefixado está acima da média da SELIC (13,53%)? Caso negativo, compre SELIC e esfrie a cabeça.

Somente em caso positivo para ambas as perguntas acima é que o investidor iniciante estaria em um caminho razoavelmente seguro.

Eventualmente o Tesouro disponibiliza títulos atrelados ao IGP-M, dê uma olhada no estudo que fizemos sobre IPCA e IGP-M comparados.

Olhando para o futuro

Apesar de eu não recomendar que você faça isso sozinho, três coisas podem te ajudar nessa tarefa:

  1. Atas de Reunião do COPOM – Se você parar para ler com calma, normalmente você encontra diretrizes do que o pessoal do Banco Central pensa sobre as condições da economia e do que vai acontecer com a SELIC – http://www.bcb.gov.br/?ATACOPOM
  2. Relatório FOCUS – O Banco Central consulta os grandes bancos periodicamente para sentir deles a expectativa em relação a economia. Nesses relatórios que agregam as expectativas com relação a inflação (IPCA, IGP-M, IGP-DI, IPC-FIPE), câmbio e taxa SELIC, você normalmente encontra detalhes de como a expectativa do mercado se altera ao longo do tempo. É interessante! http://www.bcb.gov.br/pec/GCI/PORT/readout/readout.asp
  3. Contrato de Juros Futuro (DI) – Na BM&FBOVESPA é negociado um derivativo baseado em um contrato de Taxa DI. Esse contrato serve para os investidores realizarem hedge (proteção de risco) ou mesmo especular. O preço dele varia conforme a expectativa do mercado de como a Taxa do DI (ou CDI) vai ser no futuro. http://br.advfn.com/bolsa-de-valores/bmf/DI1F17/grafico/tempo-real

Planilha de Comparação e Simulação Grátis

E, como não poderia deixar de ser, disponibilizei a planilha que te ajuda a comparar os dois investimentos com base em seus históricos.

Basta você inserir o valor de investimento que gostaria simular e copiar e colar o valor da taxa de juros do Título do Prefixado que está disponível aqui: http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro-direto-precos-e-taxas-dos-titulos.

Com isso o gráfico vai te dar uma ideia com base nas séries históricas.

Receba a planilha que simula e compara os dois investimento em seu email, basta inserir seu email que mandamos automaticamente para você:

 

Notas:

  1. As minhas conclusões foram baseadas nas taxas históricas, nada garante que essas taxas se comportem de forma similar no futuro.
  2. Essa simulação leva em consideração se você teoricamente ficasse com o título até o vencimento. Qualquer investimento com um prazo menor ou que é liquidado antes do vencimento no mercado secundário, essa planilha não é válida.
  3. Esta planilha tem apenas cunho educacional. Não tome qualquer decisão baseada em conclusões retiradas dela.

Leia também